A vida boa de Léo Índio, o primo de Carluxo, num gabinete do Senado

Assessor parlamentar do senador Chico Rodrigues (DEM-RR), Índio teria sido liberado de assinar o ponto eletrônico, tem horários flexíveis e livre trânsito no Congresso, de acordo com informações da coluna Radar, da Veja

Nomeado em abril como assessor parlamentar do senador Chico Rodrigues (DEM-RR), Leonardo Rodrigues de Jesus, conhecido como Léo Índio, tem inúmeras regalias no gabinete, na avaliação, inclusive, dos seus colegas de trabalho.

Muito próximo ao primo Carlos Bolsonaro, o Carluxo, Léo Índio havia adotado a discrição para acompanhar a reclusão do filho de Jair Bolsonaro, no período em que ele abandonou até mesmo as redes sociais.

No entanto, o fato não significa que Índio tenha perdido suas regalias no gabinete em Brasília, de acordo com informações da coluna Radar, da Veja.

Léo Índio, por exemplo, teria sido liberado de assinar o ponto eletrônico. Além disso, não sai do lado do líder do governo na casa, o senador Eduardo Gomes (MDB-TO).

Livre trânsito

Não para por aí: o primeiro de Carluxo, de acordo com a Veja, costuma ir para o Rio de Janeiro às quintas-feiras à noite e volta somente na segunda, de manhã ou, às vezes, à tarde.

Léo Índio também tem livre trânsito no Congresso Nacional. Frequenta a CPMI da Fake News, no Senado, com a mesma desenvoltura de quando está acompanhando audiência com ministros do governo, caso de Abraham Weintraub, da Educação, há duas semanas, na Câmara.

FORUM