Após ataques de facções, governador do CE contraria PT e pede lei antiterrorismo

Gio Mendes, do UOL
Em entrevista exclusiva ao UOL, a primeira a um veículo nacional após a nova onda de ataques feitos por facções criminosas no Ceará, o governador Camilo Santana defende uma legislação mais rigorosa contra o terrorismo.

Para o governador, o fortalecimento da lei antiterrorismo não atingiria movimentos sociais, como teme o seu partido, o PT. Santana também defende que o governo federal atue mais fortemente nas áreas de fronteira.

Desde a noite de sexta-feira (20), o Ceará voltou a ser alvo de ataques criminosos. Em 14 cidades do estado foram registradas cerca de 65 ações, com ônibus e caminhões incendiados e ataques a prédios públicos e privados.

A primeira onda de ataques aconteceu em janeiro e também foi atribuída a facções criminosas. Na ocasião, 50 cidades cearenses foram atacadas em mais de 280 atos criminosos.

UOL