ELEIÇÕES 2020: EXECUTIVO NA ESPERA E CÂMARA MUNICIPAL DE OURINHOS EM SAIA JUSTA??

Em ano eleitoral espera-se que tudo aconteça e que todos apareçam, em especial agora com as redes sociais em pleno funcionamento, onde as informações e também as fake news estão na moda do dia, buscando tanto atingir interesses pessoais como também interesses de forma genérica, populares.

A cidade de Ourinhos, com mais de 110 mil habitantes e praticamente um centro regional, atrai a atenção de muita gente com interesses políticos buscando a cobiçada cadeira do Executivo, uns diretamente interessados com dezenas de apoiadores ativos e outros defendendo a posição, entrincheirados contra qualquer ataque às posições conquistadas em eleição anterior.

De forma rápida, até o momento apenas o prof. Robson, que já foi candidato na eleição anterior, se mostrou interessado em batalhar por essa cadeira e levar seus apoiadores ao topo da escada, contra o atual prefeito, que com certeza buscará a reeleição para continuar administrando a cidade por mais 04 anos, devendo o pré-candidato Robson ainda montar um grupo que lhe permita tomar a frente como principal candidato.

O Dr. Mário, do laboratório, que também já foi candidato e possui uma estrutura melhor que o prof. Robson, ainda não se expressou diretamente como pré-candidato, talvez aguardando uma composição.

Então, dificilmente a oposição formada pelo grupo anterior ao prefeito Lucas Pocay apontará um candidato plausível para disputar as eleições em 2020, haja vista o silêncio e a falta de condições lógicas que a Administração Toshio Misato (este ainda inelegível) aparenta, com um partido forte outrora, hoje completamente arrasado e quase impossível, senão um milagre, de reunir um grupo à altura de disputar o Executivo local, sendo mais difícil ainda um nome, embora já tenha realizado reuniões para elaborarem ou não algo nesse sentido, medindo as possibilidades e estudando o terreno.

No tocante ao Legislativo, sempre com cobiçadas vagas diante dos altos salários que recebem por tão pouca reciprocidade ao público pagante, centenas de pretensos candidatos à eleição já se preparam, discutem nas redes sociais, medem os opositores, investigam, denunciam supostas omissões ou ações que discordam e até já dizem representar a população em confronto direto com os que já estão vereadores, buscando, em muitos casos com razão, mostrar a população a inoperância, a omissão, o corporativismo e até os interesses pessoais de cada vereador ou futuro colega na Câmara Municipal, já alguns em estado de guerra explícita pelas cadeiras que possuem ou, por outro lado, que têm direitos caso eleitos ou reeleitos.

Com certeza a população ourinhense, devido a facilidade de comunicação hoje existente, já tem suas preferências, tanto de um lado quanto de outro e, ainda os indecisos, pelo menos já têm ideia do que é ou pode ser depois de eleito, um e outro candidato, lembrando que os que estão vereadores já possuem uma grande dianteira política, fundo eleitoral e dinheiro próprio além de que tiveram a oportunidade, melhor que qualquer outro, de manter seus eleitores cativos desde que foram eleitos, além de que para a reeleição sempre é mais fácil e garantida a continuidade contra os primários que, muitas vezes ingenuamente, com foco em ideologias próprias só agora estão tentando tomar uma dessas cadeiras, sem dinheiro e muitas vezes sem o apoio previsto, podendo apenas servirem de escadas para os mais espertos, já vereadores ou não.

Felizmente sempre surgem novos talentos, pessoas carismáticas e competentes que trazendo uma boa quantidade de apoiadores pessoais conseguem se sobressair sobre os que estão vereadores, sabidamente os que menos produziram durante a gestão conquistada e que se mostraram incapazes de continuarem como vereadores, ganhando com isso a população, e aí se encontrando a saia justa apontada aos atuais vereadores, em especial pelas últimas notícias relacionadas a Casa de Leis, absurdamente inoperante, embora com um orçamento milionário que com toda certeza deveria ser direcionado em benefício da população, o que raramente acontece.

Mas, a esperança é a última que morre e, como na eleição anterior, quem sabe ao menos metade dos que estão vereadores sejam eliminados e em suas cadeiras tomem posse pessoas melhores, que realmente queiram trabalhar pelo povo de Ourinhos, e isso obviamente dependerá muito dos eleitores escolherem bem os seus candidatos, pois informações hoje não faltam aos que queiram votar certo, para o bem de todos.

JORNAL TABLÓIDE