Ironia do destino? Vereador atropela motociclista no Trevo da Vila Brasil

A poucos meses de mudança significativa na velocidade de passagem pelo trevo da Vila Brasil em Ourinhos, via rodovia Raposo Tavares, uma motociclista é gravemente atingida em sua lateral por um veículo Astra, conduzido e de propriedade do vereador Cido do Sindicato.

A velocidade de passagem pelo trevo da Vila Brasil era de 60 kms/hora e, devido aos frequentes acidentes ali ocorridos e criticados pela imprensa, moradores e usuários, também o local foi motivo de especulações sobre as mudanças que o DER deveria realizar, em conjunto com a Prefeitura, no sentido de solucionar de vez o problema.

Ocorre que a única solução até então encontrada pela Câmara de Vereadores foi a mais fácil e menos onerosa, ou seja, diminuir ainda mais a velocidade ali permitida, mudando a fiscalização eletrônica (radar) ali já instalada para 40 kms/hora, esta feita encabeçada pelo Vereador Anísio, quando houve uma série de protestos negativos, porém sem maiores repercussões, permanecendo a recente mudança e valendo a velocidade máxima de 40 kms/hora na rodovia Raposo Tavares, trevo da Vila Brasil.

Estudo realizado pelo então vereador Lucas Pocay …

Hoje, a Polícia Rodoviária, Corpo de Bombeiros e Perícia Técnica foram acionadas para atenderem ocorrência de abalroamento praticada pelo vereador Aparecido Luiz, o Cido do Sindicato, onde a vítima seguia via Raposo Tavares, sentido capital, quando foi atropelada justamente pelo veículo Astra do vereador que atravessava a referida rodovia, no sentido bairro/centro.

Ironia do destino? Esse trevo há anos vem necessitando de medidas definitivas que evitem de vez os acidentes ali ocorridos, muitos fatais, merecendo não um olhar de amenização, como ocorreu com a mudança de velocidade, mas algo que realmente impeça ocorrências no cruzamento, não importando quem o faça, se o DER ou a própria Prefeitura, pois medidas paliativas e nada onerosas a não ser pela publicidade e discussões envolvidas na Câmara (as custas do dinheiro público) já foram tomadas e não  resolveram, continuando os acidentes.

DER discrimina a cidade de Ourinhos ou a Câmara Municipal que não atua positivamente com a população ourinhense?

Com o envolvimento direto do vereador no acidente, talvez a Câmara Municipal resolva dignamente colocar uma pedra sobre essas fatalidades, desenvolvendo e promovendo, como reais representantes do povo, um projeto definitivo para o local, ainda que em período eleitoral, em conjunto ou exigindo do DER que em Ourinhos poucas atuações de sucesso ocorreram até então, até mesmo parecendo (ou esclarecendo) que esta cidade é discriminada pelo órgão estadual, que ignora os inúmeros acidentes aqui, muitos fatais, enquanto em sua cidade, Assis, tudo é muito diferente com relação aos trevos de entrada e saída, pontilhões e etc…

JORNAL TABLÓIDE