Kopenhagen desmente Flávio Bolsonaro e nega fazer auditoria com franqueados

A rede de lojas Kopenhagen afirmou que não “realiza nenhum tipo de auditoria fiscal com seus franqueados”, um dia depois do senador Flávio Bolsonaro dizer que seria um “absurdo” utilizar a sua loja para lavar dinheiro das rachadinhas, porque ela “tem um controle externo da franqueadora, que tem auditoria”

247 – A rede de franquias Kopenhagen desmentiu o senador Flávio Bolsonaro, em nota nesta sexta-feira, 20.

Em live nas redes sociais, Flávio Bolsonaro rebateu as acusações do Ministério Público do Rio de que utilizava a sua loja da rede em um shopping do Rio para lavar o dinheiro do esquema de “rachadinha” que funcionava em seu gabinete.

“Isso é um absurdo, uma leviandade. Se eu quisesse lavar dinheiro eu iria abrir uma franquia? Que tem um controle externo da franqueadora, que tem auditoria… Eu iria abrir uma outra atividade qualquer que não devesse satisfação para ninguém”, afirmou o senador.

Em nota enviada ao jornal Valor, a Kopenhagen afirmou que não “realiza nenhum tipo de auditoria fiscal com seus franqueados”. “São pessoas jurídicas totalmente independentes da franqueadora”, informou a marca.

Ainda segundo o MP-RJ, o filho de Jair Bolsonaro usou o estabelecimento para lavar R$ 1,6 milhão obtidos ilegalmente entre 2015 e 2018. Na quarta-feira, a loja foi alvo de busca e apreensão.

Leia a íntegra da nota da Kopenhagen:

“A marca afirma que possui um amplo manual de normas e procedimentos operacionais, já que preza a padronização de toda a rede de franquias e a garantia de qualidade. Esses aspectos operacionais são auditados pelo grupo a fim de preservar os atributos do ponto de venda, mantendo a excelência dos processos, sem realizar nenhum tipo de auditoria fiscal com seus franqueados, que são pessoas jurídicas totalmente independentes da franqueadora”.

BRASIL 247