Manchas de óleo chegam ao litoral da região sudeste do Brasil

Manchas de óleo já atingiram centenas de praias no nordeste brasileiro

A8SE

Força-tarefa do governo federal afirma que ‘pequenos fragmentos de óleo’ chegaram à praia de Guriri, no Espírito Santo, nesta sexta-feira (8)

 

Dois meses e uma semana após começarem a ser identificadas nas praias do Nordeste, as manchas de petróleo cru foram encontradas pela primeira vez no Sudeste do País na quinta-feira (7), segundo o jornal “O Estado de S. Paulo”. Segundo a força-tarefa do governo federal, “pequenos fragmentos de óleo” chegaram à praia de Guriri, em São Mateus, o segundo município do Espírito Santo a partir da fronteira com a Bahia.

Segundo nota do GAA (Grupo de Acompanhamento e Avaliação), composto pela Marinha, ANP (Agência Nacional de Petróleo) e Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), as amostras da substância foram encaminhadas para o Ipeam (Instituto de Estudos do Mar). O órgão confirmou ser o mesmo óleo encontrado no litoral do Nordeste.

Segundo o GAA, as praias do Rio Grande do Norte, Ceará, Pernambuco, Paraíba e Bahia, que foram atingidas pelas manchas, já estão limpas. Nesta sexta, no entanto, havia vestígios de óleo e ações de limpeza em oito locais, além de Guriri: Japaratinga, Barra de São Miguel, Jequiá da Praia, Coruripe, Feliz Deserto e Piaçabuçu, em Alagoas, e Praia do Viral e Coroa do Meio, em Sergipe.

Segundo o Ibama, o óleo já atingiu 409 localidades e, até o momento, foram retiradas aproximadamente 4.300 toneladas de resíduos de óleo. A contagem desse material não inclui apenas óleo, mas também areia, lonas, EPI e outros materiais utilizados para a coleta. O descarte é feito pelas secretarias de meio ambiente dos Estados.

Três navios da Marinha que saíram do Rio de Janeiro no dia 4 para auxiliar no combate às manchas seguem rumo ao Nordeste, com previsão de chegada ao porto de Suape (PE) no dia 10 de novembro, informa a Marinha.

Governo capixaba criou comitê de emergência

Com a chegada das manchas de óleo ao litoral do Espírito Santo, o governo capixaba criou o COE (Comitê Operativo de Emergência), por meio da secretaria da Saúde. O comitê será responsável por organizar as ações do SUS (Sistema Único de Saúde), dividindo responsabilidades entre Estado e municípios.

Segundo Gilson Almada, coordenador do COE, uma das medidas é orientar a população sobre os riscos à saúde de exposição aos resíduos do petróleo cru. “Foi elaborada uma nota técnica orientando os profissionais de saúde sobre como atender as pessoas que tiverem contato com o óleo e também os cuidados de proteção individual que devem ser adotados por esses profissionais”, afirmou.

Almada disse que cerca de 400 profissionais foram capacitados pela Defesa Civil, Marinha e Exército para a realização do recolhimento do óleo nas praias, caso seja necessário. Assim, segundo ele, não será necessário a ajuda voluntária da população, evitando risco de intoxicação por inalação, contato com a pele ou ingestão.

“Orientamos a população a não entrar em contato com o óleo. O Espírito Santo tem cerca de 400 profissionais capacitados para fazer o recolhimento desse material nas praias, por isso não há necessidade de voluntários”, disse. Em caso de exposição ao óleo ou aparecimento de sintomas, a orientação do governo é contatar o Toxcen pelo telefone 0800 28 39 904 e procurar atendimento médico.

R7