“Moro será candidato ao Planalto em 2022, pode apostar”, diz deputado do PT

Deputado Paulo Teixeira (PT-SP) diz acreditar que Moro será candidato em 2022

Para Paulo Teixeira, plano é ‘óbvio’ 

‘Ele tem essa ideia há tempos’

Em entrevista ao Poder360, o deputado Paulo Teixeira (PT-SP) afirma que o ex-juiz Sergio Moro trabalha com a possibilidade de ser candidato à Presidência  desde a época da Lava-Jato. Assista abaixo (33min11):

“Tudo o que o Moro fez na sua trajetória, ele fez com 1 objetivo político. Ele sempre foi 1 juiz partidário, tinha e tem o objetivo de ser candidato a presidente”, disse Teixeira, que é advogado formado pela Faculdade de Direito da USP.

Para Teixeira, Moro fez uma ação para tirar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva da disputa de 2018. “Ele conversou com Bolsonaro durante todo o período eleitoral.”

Na entrevista, Teixeira prega a união dos partidos de esquerda, mesmo com os conflitos estabelecidos com o PDT nas eleições do ano passado. “Como diria Belchior, o passado é uma roupa que não nos serve mais.” A dificuldade dos petistas é que integrantes de legendas como PSB, por exemplo, se dizem escaldados com o projeto de poder do PT a partir da polarização Bolsonaro-Lula.

OPOSIÇÃO

Teixeira critica as reformas propostas por Bolsonaro na Constituição e avalia como positivo o trabalho da oposição em 2019. “Conseguimos barrar vários retrocessos propostos pelo governo Bolsonaro”, afirmou o deputado.

Ele cita, por exemplo, a capitalização da Previdência, uma proposta do ministro da Economia, Paulo Guedes, que acabou sendo descartada ao longo da tramitação do projeto no Congresso.

Pragmático, Teixeira diz que a oposição precisa voltar as ruas caso queira ampliar a força em 2020. Na avaliação dele, a direito acabou tirando dos movimentos de esquerda a hegemonia das ruas.

“Mas Bolsonaro já não tem mais a força das ruas, principalmente depois dos escândalos de corrupção”, diz ele, fazendo referência à investigação envolvendo o senador Flavio Bolsonaro (sem partido-RJ). Na 4 feira (18.nov), a Polícia Federal fez buscas em endereços ligados ao congressista do Rio.

PODER 360