Nome sujo ainda consta no histórico de mau pagador após 5 anos de dívida? Entenda!

A dívida pode prescrever e não deve mais ser cobrada na Justiça pelos bancos, mas o baixo score do consumidor gera outros problemas.

 

A situação financeira de cerca de 63,2 milhões de brasileiros não é das melhores, isso porque esse é número de pessoas – 40,4% da população- que está com CPF negativado no SPC e Serasa. Entre as dúvidas da maioria dos devedores é o que acontece após os cinco anos da dívida, se ainda há consequências, mesmo com a prescrição.

É certo que o nome volta a ficar limpo e não pode mais ser levado aos serviços de proteção ao crédito por conta da dívida, além disso, ela não pode ser mais cobrada na Justiça após os cinco anos. Porém, a vida financeira continua complicada.

Isso porque a pessoa fica marcada como mau pagadora e com baixo score, que é uma pontuação calculada pelas casas de crédito que mede o grau de inadimplência do consumidor que vai de zero a mil, quanto maior, mais pontual a pessoa é com seus pagamentos.

O baixo score impede tentativas futuras de conseguir crédito, ou quando consegue, os juros são muito altos. Dessa forma, ter acesso a empréstimos, contratar um cartão de crédito ou alugar um imóvel são alguns dos exemplos de serviços que ficam difíceis de serem aprovados para quem deixou prescrever uma dívida.

Outro problema é que o banco,desde que não seja de maneira abusiva, pode continuar cobrando por meios extrajudiciais, como por cartas, ligações ou propostas de renegociação. Vale ressaltar que nestes casos, o consumidor pode simplesmente alegar que a dívida já expirou, mas a dívida ainda consta no histórico do banco.

Além disso, enfrentar os cinco anos até a prescrição envolve um período complicado de riscos como o de perder carro e casa, pois o credor pode entrar com uma ação exigindo o pagamento, e a Justiça pode determinar o bloqueio de bens que são levados a leilão para quitar a dívida.

Feirão Limpa Nome Serasa

Pensando na vida complicada do devedor, o Serasa promove, até dia 30 de novembro, o Feirão Limpa Nome que conta com a participação de 31 empresas entre bancos e várias companhias para ajudar na renegociação das dívidas. Os descontos podem chegar a até 98%.

Os interessados em participar devem acessar o site do Feirão e inserir o CPF para consultar online as propostas de negociação das empresas. Se as duas partes concordarem com os termos, o site disponibiliza um boleto para pagamento.

As empresas que participam da ação são as seguintes:

  • Santander
  • Itaú
  •  Recovery
  • Ativos
  • Net
  • Claro
  • Embratel
  • Anhanguera
  • Credsystem
  • Ipanema
  • Unopar
  • Sky
  • Nextel
  • Banco BMG
  • Digio
  • Hoepers
  • Porto Seguro
  • Tricard
  • Oi
  • Zema
  • Unic
  • Fama
  •  Pitágoras
  • Uniderp
  • Unime
  • Itaucard
  • Hipercard
  • Ativos/S.A
  • Elmo
  • Tenda
  • Energisa
  • EDP
  • Banco Original

EDITAL CONCURSOS BRASIL