Nova CPMF: Governo planeja cobrar 0,4% de saques e depósitos em dinheiro

Bruno Aragaki, do UOL
O governo Bolsonaro (PSL) planeja taxar saques e depósitos em dinheiro, com uma alíquota inicial de 0,4%, como parte da reforma tributária que vem sendo preparada.

De acordo com a proposta, apelidada pela oposição de “nova CPMF”, pagamentos no débito e no crédito também estariam sujeitos a cobrança: a alíquota inicial estudada é de 0,2%, para pagador e recebedor.

A ideia do governo é compensar a queda da arrecadação decorrente de uma menor tributação sobre salários – outra intenção do governo na reforma tributária.

Hoje, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), sinalizou que o imposto deverá enfrentar dificuldades no Congresso.

“A CPMF tem muito pouco apoio entre os que conhecem da questão tributária. Não sei se esse é o melhor caminho para resolver o custo da contratação da mão de obra”, disse Maia.

UOL