PCDF mira integrantes do PCC encarregados de castigar devedores

Foram cumpridos dois mandados de prisão preventiva e três de busca e apreensão nas cidades de Piraquara (PR) e Uberaba (MG)

Polícia Civil (PCDF) lançou, na tarde desta sexta-feira (10/01/2020), nova ofensiva para coibir a consolidação do Primeiro Comando da Capital (PCC) no Distrito Federal. Agentes cumpriram dois mandados de prisão preventiva e três de busca e apreensão nas cidades de Piraquara (PR) e Uberaba (MG). Os investigados teriam funções importantes dentro da organização.

Os criminosos eram responsáveis por definir castigos a serem aplicados nos faccionados inadimplentes, que possuem dívidas com o PCC. Em uma ligação monitorada pela PCDF, um interno conduzia uma espécie de ritual de punição contra um dos integrantes da facção. Todas as ordens eram dadas de dentro do presídio por meio do celular.

A ação, coordenada pela Divisão de Repressão a Facções Criminosas (Difac), da PCDF, dá sequência à Operação Guardiã 61, deflagrada em 7 de janeiro. As buscas foram realizadas em presídios de Piraquara e de Uberaba.

Em meio à diligência, realizada numa cela no Presídio de Piraquara, que contou com o apoio do Setor de Operações Especiais do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) do estado do Paraná, foi encontrado um aparelho de telefone celular, além de bilhetes manuscritos.

A Penitenciária Estadual de Piraquara se tornou local de concentração de um dos núcleos de lideranças do PCC. Segundo a polícia, é lá que funciona o grande centro contábil da facção.

A informação foi revelada no ano passado, em relatório da Polícia Federal referente à Operação Cravada. É no complexo do Paraná que ao menos dois chefes do PCC elaboram planilhas e verificam a arrecadação da quadrilha.

Na investigação da Polícia Civil do DF, por meio da Operação Guardiã 61, os investigadores constataram uma intensa comunicação feita por parte de um dos internos do Paraná com os criminosos que estão soltos.

METRÓPOLES