Procuradoria descobre desembargadora com 57 contas bancárias

Desembargadora Maria da Graça está sob suspeita de integrar uma organização criminosa dentro da Corte estadual baiana que vendia sentenças judiciais em processos de grilagem de terras na região oeste do estado.

Foto: TJ-BA / Divulgação

Por ordem do ministro Og Fernandes, do Superior Tribunal de Justiça, Maria da Graça foi afastada das funções na Bahia por 90 dias

A desembargadora Maria da Graça Osório Pimentel Leal, 2.ª vice-presidente do Tribunal de Justiça da Bahia, tem 57 contas bancárias. A informação consta do Relatório de Análise Preliminar de Movimentação Bancária 001, encartado nos autos da Operação Faroeste, deflagrada nesta terça, 19, pela Polícia Federal.