Reviravolta no caso da “Casa 58”: Porteiro do áudio de Carlos Bolsonaro não é o mesmo que diz ter falado com “Seu Jair”

Porteiro errado no álibi dos Bolsonaro

por Fernando Brito, no Tijolaço

Nova reviravolta no caso da “Casa 58”.

Lauro Jardim publicou, agora há pouco, que o porteiro que se ouve na gravação apresentada como álibi por Carlos e Jair Bolsonaro, por ter ligado para a casa do ex-PM acusado de matar Marielle Franco e Anderson Campos e não para o imóvel do então deputado e hoje presidente, não é o mesmo que anotou a placa e o destino do cúmplice de Ronnie Lessa e depôs dizendo que o “Seu Jair” autorizara a sua entrada.

Embora seja, possível, claro, que num intervalo de três minutos mudasse o porteiro, é mais que improvável que isso acontecesse.

Na sua coluna em O Globo, Lauro assegura que o porteiro que fez o depoimento continua de férias.

Claro que é história, porque certamente o porteiro não foi para Orlando ou Mônaco e pode perfeitamente ser localizado em casa.

A menos que, como é provável e prudente, tenha “picado a mula” diante do que podem fazer com ele.

VIOMUNDO