Tropas dos EUA só deixam o Iraque se Bagdá pagar por base militar, diz Trump

Donald Trump ao embarcar em aeroporto no Texas, em 20 de dezembro de 2019

Parlamento iraquiano quer retirada

Decisão veio após morte de general

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump disse no domingo (5.jan.2020) que as tropas norte-americanas só vão sair do Iraque se o país pagar pela base aérea construída na região.

“Temos uma base aérea extraordinariamente cara que está lá. Custou bilhões de dólares para ser construída, muito antes de mim [na Presidência]. Não vamos embora a menos que nos paguem”, afirmou a repórteres no Air Force One, o avião presidencial norte-americano.

Trump também ameaçou impor ao Iraque sanções ainda mais pesadas do que as que adotou contra o Irã.

A resposta do norte-americano foi uma reação à resolução do parlamento iraquiano pela saída e encerramento das atividades de tropas estrangeiras no país. Os EUA contam com cerca de 5.000 soldados no Iraque.

A decisão não é de cumprimento obrigatório para o governo iraquiano. Mas tem grande peso simbólico: foi aprovada a pedido do próprio primeiro-ministro, Adel Abdul Mahdi, que estava presente na sessão realizada no domingo.

A resolução foi aprovada dias depois que 1 ataque ordenado por Trump que matou o 2º homem mais importante do Irã, o general Qassem Soleimani, em Bagdá.

O comandante era líder da poderosa Força Quds do Exército de Guardiães da Revolução Islâmica. Assim como vários membros de milícias iraquianas apoiadas pelo governo iraniano, foi morto quando 1 drone norte-americano MQ-9 Reaper disparou mísseis contra 1 comboio que deixava o aeroporto.

PODER 360