A FALTA QUE FAZ O HOSPITAL ESTADUAL EM OURINHOS

imagem simbólica

Embora todos os esforços tenham se direcionados no combate ao Coronavírus, com muita boa vontade e dinheiro do Estado e do Município sendo colocados à disposição da Saúde, realmente com eficiência diante da sabida pouca quantidade de mortos em comparação com outras cidades, há atentar para o grande valor gasto em estrutura até então, alugueres em especial, que poderiam ser direcionados a um hospital em definitivo na cidade de Ourinhos, haja vista a enorme demanda em Saúde aqui necessária, fato que continuará após a pandemia, mas depois sem o dinheiro agora dispendido, inclusive pelo Estado.

O Hospital Estadual, há anos colocado à disposição para ser construído em Ourinhos pelo então deputado estadual Mauro Bragato, quem conseguiu sua liberação no governo estadual, seria a “tábua de salvação” de hoje, para a pandemia de Coronavírus, pois é de conhecimento de todos que a Santa Casa de Misericórdia atualmente é um órgão privado, de difícil acesso da população ainda que pelo SUS e com muitas restrições ao Pronto Socorro, cujos serviços são custeados por verba e acordo municipal com pagamentos mensais, e por ser privado não existe prestação de contas a população, embora receba verbas públicas.

Daí a necessidade hoje de ser ter construído o Hospital aprovado no Estado, o que evitaria praticamente todos os gastos com hospital de campanha que poderiam ser utilizados no combate ao Coronavírus hoje em muito menor escala desde que tivesse uma quantidade de leitos adequada a pandemia.

Mas, quem teria (ou não teria) interesse na construção do Hospital Estadual em Ourinhos??? Sem dúvidas, mas difícil de entender porquê.

Com 04 candidatos ao cargo do Executivo ourinhense, quem sabe um deles se comprometa (e cumpra a promessa) a construção de um hospital para que a Saúde Pública ao menos tenha um conforto em tempos difíceis como este e em períodos normais que também a Saúde Pública seja normal, o que não se percebe há décadas.

Também o ocioso Poder Legislativo poderia abordar o tema e brigar por ele, tendo toda a população como respaldo.

JORNAL TABLÓIDE