ATENTADO CONTRA A VERDADE EM OURINHOS??

CPI da EXTORSÃO é paralisada por gravação possivelmente inútil

A Câmara Municipal de Ourinhos há anos não possui credibilidade junto a população, colocando panos quentes e até mesmo boicotando a verdade em todos os seus aspectos, onde venha a pauta contrária aos interesses do governo, ludibriando os interesses públicos desde que seus componentes se aliam ao Executivo buscando cargos, vantagens sobre os projetos que podem “trabalhar” em paralelo se misturando aos anseios da população e ali ganhar publicidade junto a Assessoria de Comunicação pública e até mesmo nas supostas “rachadinhas” que justificam os altos salários e mimos recebidos, porém, difíceis de serem comprovados, até quando não sabemos.

Isso não seria possível, evidente, sem o conluio entre os vereadores e o Executivo na aprovação ou não de projetos e defesas de atos lícitos, porém imorais, mas em especial de possíveis atos ilícitos, claramente apontados à população e que, no caso em pauta, depende de tudo, até mesmo de fakes que iludem e aterrorizam a população para que se crie ar de seriedade na continuidade, manutenção de supostas lisuras, tanto de os vereadores no poder, podendo decidir atos do Executivo em nome do mandatário, como em sua defesa à este, direta e clara no Legislativo impondo ali a supremacia das vantagens recebidas, totalmente contra os interesses públicos, mas em nome dessa população que confiou e votou na seriedade, honestidade e bom senso que poderia advir dos eleitos. Mero engano.

A CPI foi adiada

A CPI da EXTORSÃO, como podemos nomear, se verdade ou mentira, não poderá ser comprovada enquanto os inúteis fakes – até que se prove o contrário na perícia criminal-, mostrem algo palpável e sério que contabilize na sua totalidade – e não pequenos espaços que podem corromper a verdade – as verdades sobre os acontecimentos que, ainda assim, não podem, se não apenas atrasar a CPI e a verdade, como também é óbvio que é a verdadeira intenção da interrupção da CPI e ouvida do principal denunciante, quem deu início as denúncias na Polícia Federal e no Jornal Debate, órgão de imprensa sério e imparcial, Ricardo Simões.

Com certeza possíveis crimes foram praticados na denúncia que interrompeu a CPI, o que deve ser apurado na Polícia e judicialmente, não visando a defesa do vereador apontado, o Vadinho, que tem condições de se defender sozinho, mas diante dos irrecuperáveis prejuízos que o povo de Ourinhos está hoje sofrendo com a ocultação da verdade na CPI da EXTORSÃO.

Como diz o ditado, “QUEM NÃO DEVE NÃO TEME” e como disse o denunciante Ricardo Simões em live hoje em outras palavras, “APENAS CRESCERÁ O PROBLEMA”, sendo certo que a verdade chegará breve, pela CPI ou pela Polícia e comprovará quem são os homens, autoridades ou não, sérios nesta cidade. Que venha a verdade à população.

JORNAL TABLÓIDE