Casal com suspeita de coronavírus é detido uma hora após fugir de hospital

Se os exames confirmarem contágio por coronavírus, o casal pode responder pelo crime de infringir determinação do poder público para impedir propagação de doença contagiosa – Divulgação/ PRF

Os dois tentavam pedir carona a caminhoneiros em um posto de gasolina. Caso aconteceu em São Borja, no Rio Grande do Sul

Um casal foi detido na noite de terça-feira pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) depois de ter fugido de um hospital em São Borja, no Rio Grande do Sul. Os dois estavam sob suspeita de estarem infectados com o novo coronavírus. Eles foram encontrados em um posto de combustível uma hora depois da fuga.
A prefeitura de São Borja informou que o casal é de Jaraguá do Sul, em Santa Catarina, trabalha com transporte de carga de peixes para uma empresa. Eles retornaram do Chile há dois dias, e ficaram retidos na fronteira com a Argentina devido às restrições aos veículos devido à pandemia de Covid-19.
O presidente do Chile, Sebastián Piñera, decretou nesta quarta-feira o “estado de exceção constitucional por catástrofe”, medida que deixa a proteção da ordem e da segurança nas mãos das Forças Armadas, com o aumento de 238 casos de coronavírus no país.

O motorista de 44 anos teve febre e problemas respiratórios e a vigilância em saúde da fronteira decidiu levar o casal ao Hospital Ivan Goulart na tarde de terça. A mulher de 39 anos também apresentava sintomas semelhantes.

Eles foram atendidos e coletaram material para exame. Mas, os funcionários deram pela falta deles às 19 horas e acionaram a polícia.

Segundo a prefeitura, os dois teriam fugido de táxi até o posto de gasolina, onde tentavam pedir carona para outros caminhoneiros. Ao serem encontrados pela Polícia Rodoviária Federal, eles admitiram a fuga e foram levados de volta ao hospital. Eles devem ser transferidos para a cidade onde moram e ficar em isolamento domiciliar.

Se os exames confirmarem contágio por coronavírus, o casal pode responder pelo crime de infringir determinação do poder público para impedir propagação de doença contagiosa, informou a PRF.

O DIA