Como a imprensa tenta conter propagação do coronavírus entre os jornalistas

Jornais impressos expostos na banca da rodoviária do Plano Piloto, em Brasília

Profissionais entram em home office

Conheça as medidas do Poder360

As Redações de jornais brasileiros e internacionais adotaram medidas para proteger seus jornalistas da propagação da pandemia de coronavírus, que já infectou mais de 250 mil pessoas.

O jornal digital Poder360 suspendeu viagens e adotou 1 sistema de trabalho em home office jornalistas que normalmente despacham da redação passaram a trabalhar de casa. A presença no ambiente compartilhado foi reduzida ao mínimo, para reduzir o risco de contaminação.

Repórteres que cobrem in loco as notícias no Congresso Nacional e no Planalto foram orientados a seguir cuidados especiais (como evitar aglomerações) para não serem infectados. Leia aqui uma série de medidas para diminuir a possibilidade de contágio.

Outros veículos da imprensa brasileira restringiram viagens não essenciais e abriram a possibilidade de home office para seus funcionários. Entre eles, os do grupo GloboO Estado de S.Paulo e a Folha de São Paulo.

Eis o infográfico que o Poder360 elaborou com 1 resumo das medidas adotadas por grandes Redações:

Na 5ª feira (19.mar), a CNN Brasil anunciou que o apresentador do “Jornal CNN”, William Waack, participará do programa a partir de 1 estúdio montado em sua casa. O jornalista têm 67 anos e está no grupo de risco.

A emissora também informou que parte dos colaboradores já trabalham de forma remota, incluindo grávidas e aqueles com mais de 60 anos. Eis a íntegra (54 KB) do comunicado divulgado pela CNN Brasil.

Em Nova York, os empregados da rede CNN são orientados a trabalhar de casa por tempo indeterminado. Para os trabalhadores da editora de revistas Condé Nast na cidade, a recomendação de home office vale até o final de março –e é obrigatória para funcionários do escritório do World Trade Center, onde 1 funcionário foi diagnosticado com covid-19.

Condé Nast é a publisher de revistas como Vogue, The New Yorker, GQ, e Vanity Fair. Na Itália, o grupo adota o “trabalho inteligente” desde 24 de fevereiro: trabalho remoto alinhado a horários flexíveis. Dessa forma, funcionários com filhos conseguem se adaptar melhor à rotina de quarentena geral nos locais onde as aulas foram suspensas.

Outra revista que está se adaptando às medidas de precaução contra o coronavírus é a New York Maganize. Parte dos funcionários trabalha de casa desde 2ª (16.mar), enquanto a equipe desenvolve uma forma de editar a revista por meios completamente digitais. O objetivo é desempenhar todo trabalho de forma remota a partir da próxima 2ª feira (23.mar).

PIAUÍ

Na TV Clube, afiliada da Globo no Piauí, os jornalistas entraram de quarentena desde a tarde de 6ª feira (20.mar). O veículo passa a exibir os telejornais diretamente da Globo Nordeste, no Recife, que receberá informes da equipe piauiense. A medida foi tomada pela direção de jornalismo da emissora após um dos âncoras do Piauí TV 1, Marcelo Magno, ser diagnosticado com o coronavírus. O apresentador está internado.

PODER 360