CPI da EXTORSÃO está virando escândalo

Desde que a CPI da EXTORSÃO  (que mediante denúncia a Polícia Federal acusa o prefeito Lucas Pocay e secretários de suposta extorsão) foi instalada na Câmara em Ourinhos, a cidade parece ter virado ao avesso.

Antes talvez com uma suposta prova em forma de áudios apontando como armação do vereador Vadinho contra o governo Lucas Pocay, segundo própria reportagem do jornal DEBATE, foi registrada queixa na Polícia contra o site governista (Repórter na Rua) que divulgou matéria mentirosa e nessa queixa anexado um áudio de Lucas Pocay conversando com um jornalista, “onde diz que ele possui um áudio que seria entregue diretamente a Polícia”.

Na reportagem do Jornal DEBATE este diz que “há uma forte tentativa por parte de apoiadores de Pocay de desmoralizar a imagem do empresário Ricardo Simões para abafar a gravidade das denúncias”. A conversa transmitida – agora em áudio – por Lucas Pocay ao jornalista do DEBATE e entregue a Polícia na Queixa registrada confirmando isso indica quem teria a primeira posse dos áudios distribuídos ao funcionário público que denunciou Vadinho e ao site Repórter na Rua, que de imediato atacou o empresário Ricardo Simões e o vereador Vadinho, apontando tudo como uma armação contra o governo Lucas Pocay.

Com a primeira posse dos áudios estando com Lucas Pocay, que as distribuiu de imediato, não à Polícia Federal, mas os tornou público, embora ainda ninguém tenha compreendido o que diz nas gravações, há entender que a intenção foi de criar um imbróglio na CPI da EXTORSÃO para retardar ou até mesmo anular o procedimento, sabendo da parceria existente entre presidente Alexandre Enfermeiro e demais vereadores da base de situação, em maior número que os vereadores de oposição e que entre eles está o relator Vadinho, agora alvo de denúncia de quebra de decoro parlamentar pelo funcionário público da SAE, Fermiano.

Os desentendimentos se sucedem na política ourinhense e com a continuidade à contragosto da CPI da EXTORSÃO, que tem a presidência do vereador Cícero Investigador e relatoria do vereador Vadinho, que conseguiu na Justiça o direito de continuar na CPI, possivelmente tenha um final verdadeiro, de acordo com a seriedade que isso merece e o respeito à população que aguarda um final justo, ou seja, nada menos que a verdade.

Dessa forma, é certo que tudo continuará com ameaças, fakes e tentativas de burlar o resultado final, que sem dúvidas será um escândalo na cidade e influenciará nas reeleições e eleições de forma taxativa, impondo muita atenção dos eleitores na hora de votar, pois Ourinhos terá o antes e o depois da CPI da EXTORSÃO.

JORNAL TABLÓIDE