CPI da EXTORSÃO, UMA DÚVIDA CRUEL

Com a negativa do empresário Ricardo Simões em prestar depoimento na CPI esta semana, mais um atraso, mas que obviamente nada diferente além disso, seja contra o prefeito Lucas Pocay ou contra Ricardo Simões se, por acaso este tenha mentido na representação realizada na Polícia Federal.

Durante a presença do Sr. Ricardo Simões na Câmara Municipal, repórteres o teriam interrogado no sentido de que falasse  sobre pormenores da representação na PF , na tentativa de adiantarem as impressões pessoais de cada veículo de comunicação a serem veiculadas posteriormente.

No entanto, acuado, Ricardo se manteve respondendo outros detalhes não perguntados, o que nos deixou, em parte incrédulo com suas palavras, não por desacreditar na representação à PF, mas entendendo que o empresário pode estar, infelizmente, sozinho e emocionalmente atingido pelos problemas que o acompanharam nos últimos meses, em procedimento falimentar e perda do sócio Mário Matheus entre eles, o que o teria em várias oportunidades levado a tergiversar.

O problema maior será a exploração dessa situação talvez precária de saúde de Ricardo Simões, causando um imbróglio que poderá afetar o resultado final dessa CPI, colocando em dúvida a busca pela verdade, principalmente ao ser questionado sobre suas declarações a Polícia Federal, colocando-o em dilema com suas próprias lembranças.

É difícil de entender qual a melhor forma de administrar esse problema, podendo ser convidado o geriatra do denunciante para comentar sobre sua condição de saúde antes de qualquer resultado da CPI, para se ter a certeza de um procedimento legal, desde que envolve, com certeza, os interesses de uma cidade.

JORNAL TABLÓIDE