Delegada sobre idosa maltratada no DF: “Estava se desintegrando”

Vítima foi encontrada em casa, com ferimentos que deixavam à mostra o pulmão. Filha foi presa acusada de maus-tratos

situação em que se encontrava uma mulher de 69 anos, em Taguatinga Sul, chocou os policiais civis que foram ao local e prenderam a filha dela, acusada de maus-tratos. “Eles a descreveram como um cadáver vivo. Ela estava se desintegrando, uma situação deplorável”, disse a chefe da Delegacia Especial de Repressão aos Crimes por Discriminação Racial, Religiosa, por Orientação Sexual ou contra a Pessoa Idosa e com Deficiência (Decrin), Ângela Maria dos Santos.

A prisão de Flávia Cristina Marçal, 38, ocorreu nessa terça-feira (14/01/2020). Mas ela foi solta, após pagar fiança de R$ 2,5 mil. A idosa estava desnutrida, sem dentes e com várias feridas pelo corpo. Um dos machucados, nas costas, deixava o pulmão da mulher à mostra, de tão profundo.

Os policiais chegaram até a casa da idosa após denúncia de um médico do Núcleo de Atendimento Domiciliar, do Hospital de Taguatinga (HRT). Durante uma das visitas, o profissional se deparou com as cenas de horror.