Doria diz esperar que Anvisa cumpra “dever humanitário” e autorize vacinas

Declaração foi feita em coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira (13/1). Governador de São Paulo afirmou que apoia todas as vacinas

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse esperar que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) cumpra o “dever humanitário” e autorize, no próximo domingo (17/1), o uso emergencial das duas vacinas que aguardam o processo: a Coronavac e o imunizante de Oxford.

A declaração de Doria foi feita em coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira (13/1). Questionado sobre uma possível repercussão negativa sobre a Coronavac, após o anúncio de eficácia global de 50,38%, Doria afirmou estar com a opinião “fortalecida” sobre o imunizante.

“Todas as vacinas consideradas eficazes, de acordo com os cientistas que fazem depoimentos e que estudam o tema, são vacinas que atendem 50% ou mais da taxa de eficácia. Portanto, a vacina do Butantan atende plenamente e deve ser colocada imediatamente após a aprovação da Anvisa para os brasileiros”.

O governador também disse que apoia todas as vacinas que estão em produção atualmente, e que deseja que a Anvisa “cumpra o seu dever científico e humanitário” ao liberar os imunizantes de Oxford e do Instituto Butantan.

“Síndrome do cientista tupiniquim envergonhado”

Ao falar de uma possível repercussão negativa sobre a Coronavac, Dimas Covas, presidente do Instituto Butantan, disse que não tem “síndrome do cientista tupiniquim envergonhado”. O cientista defendeu a eficácia do imunizante e disse que é o melhor apresentado até o momento.

Chegada da CoronaVac Doria

METRÓPOLES