Doria recebe ameaças de mortes e registra boletim de ocorrência em SP

GOVERNADOR DE SÃO PAULO , JOÃO DORIA. FOTO: GOVERNO DE SP

Ataques acontecem no momento em que o governador se indispõe com o presidente Jair Bolsonaro sobre a contenção do coronavírus

O governador João Doria sofreu ameaças de morte em seu celular e redes sociais na quinta-feira 27 e registrou boletim de ocorrência. Uma das mensagens dizia que sua casa seria invadida, o que fez com que a Polícia cercasse a residência do governador. Uma investigação será aberta.

A equipe de Doria diz ter indícios de que as ameaças partem de um movimento bolsonarista e suspeita que os ataques são feitos por “um movimento articulado pelo gabinete do ódio, liderado pelo filho do presidente, Carlos Bolsonaro”. Os ataques surgem no momento em que o governador se indispôs com o presidente Jair Bolsonaro por estratégias adotadas no combate ao coronavírus.

O primeiro embate entre os dois aconteceu na quarta-feira 25, durante uma videoconferência na qual participaram governadores do Sudeste, como Wilson Witzel (PSC-RJ), Romeu Zema (Novo-MG) e Renato Casagrande (PSB-ES), que discutiram as urgências relacionadas ao combate da Covid-19.

Doria se posicionou contra o pronunciamento do presidente, feito um dia antes, onde questionou a quarentena, algumas medidas adotadas por governadores e prefeitos e defendeu o isolamento vertical, que só englobaria os idosos.

Em determinado momento da reunião, Bolsonaro disse que o tucano não teria autoridade para criticá-lo após ter sido eleito em 2018 com sua ajuda e, depois, de ter lhe virado as costas. Doria, por sua vez, cobrou “serenidade, calma e equilíbrio”, e ameaçou ir à Justiça se o governo federal confiscar respiradores mecânicos para doentes graves com Covid-19.

CARTA CAPITAL