EXCLUSIVO: ficha criminal de Lula impediu acordo com MPF no caso de invasão do triplex

O Antagonista teve acesso a parecer do MPF em São Paulo que rejeita a possibilidade de acordo de transação penal com Lula no caso da invasão do triplex. O documento é assinado pelo procurador da República Thiago Lacerda Nobre.

Transação penal é um acordo firmado entre MP e o acusado para antecipar a aplicação de pena e o processo ser arquivado.

O próprio MP avaliou na denúncia que seria possível fazer o entendimento diante do lapso temporal e da pena mínima combinada ao tipo penal mencionado.

Nobre, porém, afirmou que a ficha criminal de Lula impede a concessão do benefício.

“Analisando-se, contudo, as mencionadas FAC’s  [fichas de antecedentes criminais] e certidão de distribuição (TRF-3), verifica-se, de pronto, que o benefício da transação penal não poderá ser proposto a Luiz Inácio Lula da Silva”, afirma o procurador.

E completa: “Assim, em atenção ao princípio constitucional da rápida duração do processo, e visando a imprimir celeridade no feito, posto se tratar de delito apenado com pena branda, e cujos fatos remontam a abril/2018, requer seja recebida, desde logo, a denúncia em relação Luiz Inácio Lula da Silva, e por conseguinte, promovido o desmembramento do feito.”

O procurador defendeu ainda o fatiamento do caso para que a Justiça defina logo a situação de Lula. Em relação a Guilherme Boulos e demais denunciados (Anderson Feliciano, Andréia da Silva e Ediane Aparecida), o MPF vai aguardar novas informações sobre a situação criminal para decidir se cabe a transação penal.

A Justiça Federal de Santos deve realizar uma audiência para tratar do acordo no dia 16 de julho. Procurada, a defesa de Lula não quis se manifestar.

O ANTAGONISTA