Flávio Dino: militares não podem estar atrelados a “uma facção extremista e passageira”

247 – O governador do Maranhão, Flávio Dino (Pc do B) criticou na noite deste domingo (12) a cúpula militar brasileira por sua reação à manifestação do ministro do STF Gilmar Mendes, que afirmara sábado estar o Exército “se associando a esse genocídio”, numa referência à ocupação militar do Ministério da Saúde. Segundo Dino, a cúpula das Forças Armadas “não pode estar atrelada ou subordinada a um lado da política brasileira. Pior quando se cuida de uma facção extremista e passageira”.

Em um tweet, Dino afirmou: “A cúpula das Forças Armadas deve entender que uma instituição de ESTADO – que exerce monopólio de uso da força em nome da NAÇÃO – não pode estar atrelada ou subordinada a um lado da política brasileira. Pior quando se cuida de uma facção extremista e passageira”.

Profile photo, opens profile page on Twitter in a new tab         Flávio Dino

🇧🇷

@FlavioDino
A cúpula das Forças Armadas deve entender que uma instituição de ESTADO – que exerce monopólio de uso da força em nome da NAÇÃO – não pode estar atrelada ou subordinada a um lado da política brasileira. Pior quando se cuida de uma facção extremista e passageira.
@UOLEconomia
Cúpula das Forças Armadas está ‘extremamente indignada’ com fala de Gilmar zpr.io/HHVsz
BRASIL 247