Loja da Havan em SP é fechada por não respeitar normas de funcionamento

Loja da Havan em Ribeirão Preto (SP) é lacrada pela prefeitura

A prefeitura de Ribeirão Preto (SP) lacrou hoje a loja da rede de varejo Havan que fica na zona leste da cidade. A medida foi tomada, segundo a administração, porque o estabelecimento descumpriu regras municipais sobre funcionamento e quantidade de produtos considerados essenciais dispostos para que comércios se mantenham abertos durante a pandemia de covid-19. Procurada, a loja informou que não vai se manifestar sobre a decisão. A situação envolvendo a unidade da rede, que fica no bairro Ribeirânia, e a prefeitura de Ribeirão Preto começou após a publicação do decreto 146/2020, em 3 de julho, que determina que pode funcionar o estabelecimento que tem 70% da área de venda ocupado por produtos considerados “essenciais”, como higiene, limpeza e alimentação.

Segundo a prefeitura, a Havan não cumpriu essa determinação e foi orientada a adequar sua operação dentro dos prazos estabelecidos, mas poderia permanecer de portas abertas durante o processo. Contudo, as mudanças não foram realizadas e a loja foi lacrada. “O estabelecimento só poderia funcionar pelos sistemas delivery e drive-thru, fato que não ocorreu e que gerou a lacração na data de hoje”, informou o Departamento de Fiscalização Geral, por meio de nota.

O UOL apurou que, assim como em outras unidades pelo país, a loja do interior paulista também colocou gôndolas com alguns produtos “essenciais”, como arroz, feijão e óleo, seguindo determinação do proprietário, Luciano Hang. Normalmente, a Havan não vende esses itens, tendo como atuação principal o comércio de vestuário, cama, mesa e banho, eletrodomésticos e eletrônicos, mas começou a oferecer os alimentos para se manter aberta após o início da quarentena no estado de São Paulo, determinada como medida de prevenção ao novo coronavírus.

Apesar da lacração, a prefeitura de Ribeirão Preto informou que a unidade pode ser reaberta. “Para funcionamento, a loja deverá realizar todas as adequações necessárias e, posteriormente, entrar em contato o Departamento, que por sua vez irá analisar e se manifestar quanto à possibilidade de retomada das atividades”, finalizou. Ribeirão Preto está na fase vermelha do Plano SP, que determina o funcionamento apenas do comércio essencial. Segundo balanço divulgado pela prefeitura, são 8.121 casos confirmados (295 só hoje), com 250 mortes.

UOL