O dia em que o coronavírus chegou ao Planalto

Clarice Cardoso, do UOL, em São Paulo

O país amanheceu na expectativa da divulgação do exame feito pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para averiguar um possível diagnóstico de covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. O teste foi divulgado no horário do almoço, confirmando que o resultado era negativo.

Bolsonaro teve de fazer o exame após o secretário especial de comunicação, Fábio Wajngarten, com quem viajou aos Estados Unidos, ter sido diagnosticado na quinta-feira. Segundo fontes no Planalto, contudo, ele não apresentava sintomas.

Logo pela manhã, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL) disse à emissora norte-americana Fox News que o primeiro teste do pai havia dado positivo e que eles aguardavam a contraprova. Depois, em seu perfil no Twitter, ele desmentiu a informação alegado que as notícias sobre o teste positivo não eram verdadeiras.

Em um dia tenso, o presidente deixou o o isolamento no Palácio da Alvorada por pouco tempo. Mantendo-se à distância, cumprimentar militantes e chegou ao Palácio do Planalto pouco depois das 14h. Após uma reunião com o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), o general Augusto Heleno, voltou para o Alvorado às 15h30 sem conversar com ninguém.

Ao contrário do que sempre faz, ele não se aproximou dos apoiadores que normalmente o aguardam. “Apesar de meu teste ter dado negativo, não vou apertar a mão de vocês”, disse.

UOL