PF pediu que STF adiasse ou cancelasse operação contra bolsonaristas por risco à ‘estabilidade de instituições’

Polícia Federal (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

Manifestação assinada pela delegada Denisse Dias Rosas Ribeiro foi vista com estranheza no STF, já que a Polícia Federal é obrigada a cumprir mandados expedidos pelo Judiciário e não tem a atribuição de opinar sobre essas ações.

247 – A Polícia Federal pediu ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), para “postergar” ou cancelar a operação deflagrada contra parlamentares, empresários e apoiadores bolsonaristas suspeitos de envolvimento em atos antidemocráticos.

Ao ministro do Supremo, a PF argumentou que a realização das “diversas medidas propostas em etapa tão inicial” da investigação traria “risco desnecessário” à estabilidade das instituições.

Segundo o jornal O Globo, a manifestação da Polícia Federal, assinada pela delegada Denisse Dias Rosas Ribeiro, foi vista com estranheza no STF, já que a Polícia Federal é obrigada a cumprir mandados expedidos pelo Judiciário e não tem a atribuição de opinar sobre essas ações. Segundo fontes do STF, após o ocorrido, Moraes analisa um pedido da PGR para afastar a delegada do caso.

A ação foi realizada a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), que em abril solicitou abertura do inquérito sobre os atos antidemocráticos, sob suspeita de que esses atos ocorriam de forma orquestrada em conjunto com empresários e parlamentares.

BRASIL 247