POLÍTICA PSOL vai denunciar Bolsonaro na OMS por incentivar manifestações

PRESIDENTE JAIR BOLSONARO PARTICIPA DE MANIFESTAÇÕES PRÓ-GOVERNO. FOTO: AFP

O presidente descumpriu monitoramento do coronavírus e participou das manifestações pró-governo deste domingo

Após o presidente Jair Bolsonaro participar e incentivar os protestos pró governo deste domingo 15, o PSOL vai apresentar uma denuncia na Organização Mundial da Saúde (OMS) contra o capitão.

Segundo o partido, a conduta do presidente foi “extremamente grave e irresponsável” diante de uma pandemia em curso, “colocando em risco a saúde dos brasileiros e brasileiras, e da população mundial como um todo”.

Bolsonaro havia feito um pronunciamento na quinta-feira 12 pedindo para que as manifestações fossem canceladas pelo avanço do coronavírus no Brasil. A decisão aconteceu após a OMS classificar o novo vírus como uma pandemia. O Ministério da Saúde também pediu para que aglomerações fossem evitadas.

Além de incentivar pelas redes sociais, Bolsonaro desceu a rampa do Palácio do Planalto, cumprimentou e tirou fotos com apoiadores. O presidente, no entanto, está em quarentena após viajar para os EUA e ter contato com sete pessoas que foram diagnosticada com coronavírus.

O documento afirma também que “as atitudes de Bolsonaro desrespeitam frontalmente a Constituição da OMS e o Regulamento Sanitário Internacional, instrumentos internalizados a ordem jurídica brasileira de modo vinculante.”

A bancada da sigla também estuda fazer uma representação contra Bolsonaro junto à Procuradoria-Geral da República (PGR).

Segundo a A líder do PSOL na Câmara, a deputada Fernanda Melchionna, como chefe de Estado, a atitude de Bolsonaro foi grave e irresponsável ao estimular e participar dos atos autoritários. “Sem dúvida, ele não pode continuar governando”, defendeu a parlamentar.

CARTA CAPITAL