PSL expulsa deputados após ataques ao STF

O deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP).

Em reunião do conselho de ética do diretório estadual nesta quarta-feira (15), o PSL decidiu pela expulsão dos deputados estaduais Douglas Garcia e Gil Diniz, de São Paulo. A motivação foram as manifestações de ataques feitas pelos parlamentares ao Supremo Tribunal Federal e seus ministros.

Em nota, o PSL afirmou que os deputados afrontaram o código de ética do estatuto do partido que “veda atividades políticas contrárias ao regime democrático, caracterizadas pela conduta dos dois deputados em manifestações que atentam contra o STF e seus ministros”.

Uma das manifestações de Douglas Garcia que motivou a expulsão foi um post no Facebook que o deputado dizia “o Supremo Tribunal Federal prepara um golpe de estado para derrubar Jair Bolsonaro. A pior ditadura que existe é a ditadura do judiciário, contra ela não há a quem recorrer. O povo não irá aceitar nenhuma ameaça contra a democracia e irá defender seu presidente.”

Após a decisão do partido, o deputado se posicionou: “Hoje, 15/07/2020, apesar de ter juntado, em sua defesa no Conselho de Ética do PSL, diversas manifestações em que repudiou claramente intervenção militar ou qualquer ruptura da ordem democrática, o Deputado Douglas Garcia foi expulso do PSL com o absurdo argumento de que apoiaria atos antidemocráticos e o fechamento das instituições, em claro ato de perseguição política.

Congresso em Foco não conseguiu contato com o deputado Gil Diniz.

CONGRESSO EM FOCO