Queiroz teve acesso a inquérito sigiloso e PF investiga

O ex-PM Fabrício Queiroz teve acesso a inquérito de uma investigação sigilosa que tramitou no estado do Rio de Janeiro e a delegada Christiane Correa Machado pediu esclarecimentos à Superintendência no Rio

247 – O ex-funcionário da família Bolsonaro, Fabrício Queiroz, preso na última quinta-feira, está sendo investigado por ter pedido acesso a um inquérito que tramitava em sigilo no Rio. O pedido de esclarecimentos da delegada Christiane Correa Machado sobre o caso se dá no processo que investiga a interferência de Jair Bolsonaro na Polícia Federal.

O inquérito a que Queiroz teve acesso era baseado em relatório do Coaf que apurava suposta evasão de divisas por um advogado do Rio Grande do Sul.

Queiroz pediu acesso aos autos por ter sido mencionado no documento do Coaf por transações suspeitas. A grande questão é: como ele soube disso?

Flávio Bolsonaro, ex-chefe de Queiroz, também foi citado nesse inquérito.

Queiroz não era alvo da investigação, mas conseguiu uma cópia do material, até então restrito à Polícia Federal, ao MPF e à Justiça Federal.

Na mesmo período, Bolsonaro pressionava Sergio Moro pela troca da chefia da Superintendência no Rio.

BRASIL 247