CORREÇÃO DE ERRO DA REDAÇÃO: OURINHOS – Sem candidato sério, melhor o prefeito concorrer sozinho à reeleição

Senhores (a) leitores:

Desculpem o erro nesta matéria, que veiculou desde ontem até o presente momento.

Por um equívoco deste redator, compreendido entre votação de maioria simples para eleição do prefeito municipal, apontada para municípios de até 200 mil eleitores e votação de maioria absoluta, também para eleição do prefeito municipal, apontada para municípios com mais de 200 mil eleitores, esta matéria acusou erroneamente que para eleição em Ourinhos, cidade com menos de 200 mil eleitores, seria necessário que o candidato único tivesse maioria absoluta de votos, ou seja, 50% + 1.

O correto é que para vencer a eleição em Ourinhos, que possui menos de 200 mil eleitores, segundo a Legislação vigente, o candidato único precisa apenas do voto do próprio candidato, ou seja, voto simples, apenas 01 (um) voto, nada mais, senão vejamos (resumindo para o caso de Ourinhos):

A Lei nº 9.504/97, de forma genérica, estabelece que estarão eleitos para os cargos de prefeito e vice-prefeito, não computados os votos em branco e os votos nulos, os candidatos que obtiverem a maioria:

• simples de votos, nos municípios até duzentos mil eleitores;   –

 

MATÉRIA CORRIGIDA:

Na falta de um consenso que aponte um candidato sério na oposição para concorrer na eleição de 15 de novembro contra o prefeito Lucas Pocay, ESTE SERÁ CANDIDATO ÚNICO E PRECISARÁ DE APENAS 01 (UM) VOTO PARA A REELEIÇÃO, ainda que diante de seu desgoverno, doação do setor lucrativo da SAE, falta de água durante toda gestão enquanto descarrega esgoto praticamente in natura nos rios Pardo e Paranapanema, 49 inquéritos abertos com alguns judicialmente em andamento e uma condenação por improbidade administrativa a caminho do colegiado, em 2ª Instância para ser julgada e, se condenado, transformado em ficha suja, quase 700 cargos comissionados e funções de confiança que esvaziam os cofres públicos em plena pandemia apenas para sustentar uma reeleição sem ter uma obra pública para chamar de sua, reclamações de moradores com falta de tudo em todos os setores, DAÍ QUE MELHOR SERIA A ESCOLHA EM CONSENSO PARA UM SÉRIO CANDIDATO DE OPOSIÇÃO, APOIADO POR TODOS.

Além disso, a troca de todos os vereadores, evidentemente.

Seria a forma racional e lógica de resolver o maior problema de Ourinhos, a Administração Municipal e a suposta fiscalização exercida pelo Legislativo.

JORNAL TABLÓIDE

TABLÓIDE OURINHOS