‘Tem que sentar pra receber’: bailarina do Faustão denuncia pirâmide financeira criada por ex-garota de programa

Promessa de 250% em dez dias e ‘Justin Bieber brasileiro’ fazem parte do esquema que movimentou R$ 2 milhões

A ex-bailarina do Domingão do Faustão, Pablinny Pedersoli, denunciou um suposto esquema de pirâmide financeira que pode ter movimentado R$ 2 milhões, segundo o Metrópoles. Criado por uma ex-garota de programa, o negócio prometia até 250% de lucro diante o valor investido em depósitos que podiam alcançar até R$ 500 mil.

Assim, com saques em atraso, a líder da empresa aparece em uma live nas redes sociais prometendo pagar os clientes. Ao ler um dos comentários no vídeo online questionando os atrasos, Juliana Novaski Ducia chama uma cliente de “puta” e diz que “tem que sentar pra receber”.

O esquema que possui características de uma pirâmide financeira atuou em Brasília – DF, onde 715 pessoas podem ter investido no negócio. A promessa de lucro de 250% em apenas dez dias está relacionada com uma suposta moeda, chamada Yebsc.

Bailarina denuncia pirâmide financeira com moeda

Pirâmide financeiras são negócios que oferecem altos retornos que não existem em nenhum outro tipo de investimento. No caso do negócio de Brasília – DF, os investidores recebiam 250% de lucro ao enviarem dinheiro para Juliana Novaski.

Além disso, pirâmides financeiras prometem recompensas por indicação, sendo necessária a entrada de novos investidores para sustentar os pagamentos. A promessa de lucro fácil e os saques em atraso indicam sinais de insustentabilidade do negócio promovido pela ex-garota de programa nas redes sociais.

Assim, a ex-bailarina do Faustão, Pablinny Pedersoli foi uma das investidoras que acreditou na promessa de transformar o capital em 250% de lucro ao investir na moeda Yebsc. A dançarina divulgou o investimento antes de perceber que o esquema poderia ser uma pirâmide financeira.

Juliana promete lucro fácil com investimentos (Reprodução/Instagram)

Pablinny conta que se afastou do negócio no dia 4 de junho de 2020, e recebe ameaças por expor o investimento. Em entrevista ao Metrópoles, ela disse que até perdeu o perfil no instagram de uma loja online.

“Depois que me afastei da Juliana e dos esquemas dela, comecei a sofrer ameaças nas redes sociais feitas por perfis fakes. Tive sérios problemas com o funcionamento da minha loja, pois o perfil foi denunciado e suspenso.”

Segundo Pablinny, Juliana recebia cerca de R$ 4.000 de investidores e em dez dias esse valor era transformado em R$ 14.000. Sendo assim, era oferecido um suposto lucro de 250% em menos de duas semanas. Em uma das imagens divulgadas por Juliana, ele promete transformar R$ 50.000 em R$ 130.000 em apenas quinze dias.

Lucro de 250% com ex-garota de programa

O golpe denunciado pela ex-bailarina do Faustão expõe um investimento que prometia lucro de 250% em apenas dez dias. Além de Juliana, o namorado da investidora, conhecido como “Justin Bieber brasileiro” também participa do negócio oferecendo o investimento na moeda Yebsc.

A ex-garota de programa aparece em uma live falando sobre os pagamentos em atraso. Sem dinheiro, clientes cobram Juliana Novaski, que chama uma das investidoras de “puta”. A investidora questiona sobre os saques em atraso e Juliana esclarece que já pagou a cliente em outras situações.

“Claro que não Laura. Quantas vezes você não me mandou R$ 7 mil e eu te voltei R$ 14 mil, né? Pare de ser hipócrita. Quantas vezes aí você não me mandou R$ 4 mil e eu te mandei R$ 10 mil. Você acha que perdeu R$ 15 mil na minha mão? Você é puta, você sabe como é, tem que sentar mesmo para receber.”

Em resposta, Juliana afirma que a denúncia relacionada a ex-bailarina do Faustão é de caráter pessoal. Além disso, ela disse que tudo começou quando ela decidiu não receber flores de 30 investidoras que fazem parte do negócio. Ela alega que não conseguiu fazer os pagamentos e promete que todos os investidores devem receber.

COINTELEGRAPH