Vídeos mostram perseguição da GCM e gritos após morte de menino em SP

Vídeos mostram perseguição da GCM e gritos após morte de menino em SP



28/06/2016  


Um vídeo obtido com exclusividade pela Folhamostra uma cena da perseguição de carro da GCM (Guarda Civil Metropolitana) ao veículo em que estava o menino Waldik, 11, que foi morto por disparos da guarda na noite de sábado (25), em São Paulo.
O vídeo foi feito na rua Inácio Monteiro, a cerca de 2 kms do local em que o carro acabou parando. Nas imagens, gravadas por câmera de segurança às 21h59, é possível ver a hora em que o trânsito na rua para, no sentido da casa de Waldik e dos demais ocupantes do carro. O motorista entra na contramão e é seguido de perto por um carro da GCM. Em fuga, o carro chega a frear para ultrapassar uma lombada.
É possível ver também que o carro ainda não tem a marca do tiro que matou a criança. Testemunhas no local em que o carro foi encontrado dizem que o veículo parou já com a marca de bala no vidro, o que dá a entender que o disparo foi dado durante a perseguição.

WALDIK GABRIEL SILVA CHAGAS

Em imagens a que a reportagem teve acesso, é possível ver ainda outro carro da GCM passar no mesmo sentido oito minutos depois. Após 22 minutos da cena de perseguição, um veículo da Polícia Militar passa, também no sentido em que os carros foram.
Outro vídeo [assista abaixo], gravado por testemunhas na rua onde os demais ocupantes do veículo largaram o carro e fugiram a pé, mostra o corpo menino sendo retirado do carro pelos guardas-civis. No momento, ocorria uma festa na rua Regresso Feliz.
É possível ouvir os gritos de revolta dos moradores ao constatar que se tratava de uma criança e que ela foi atingida na cabeça. Também pode ser identificado o buraco no vidro traseiro do veículo feito pelo tiro que matou Waldik.

O CASO
Na noite de sábado, guardas-civis realizavam ronda em Cidade Tiradentes, bairro do extremo leste de São Paulo, a cerca de 30 km do centro da cidade, quando motoqueiros se aproximaram e disseram ter sido assaltados por homens em um Chevette prata.
Os guardas localizaram o carro e começaram a perseguição. Segundo a polícia, os ocupantes do veículo efetuaram disparos contra os guardas, que revidaram.
Um dos tiros atingiu, na nuca, o menino Waldik, que estava no banco de trás do veículo. Os suspeitos abandonaram o carro, com o garoto ferido, e fugiram. Segundo a família, estavam com o menino outros dois adolescentes, um de 13 e outro de 14 anos.
O prefeito Fernando Haddad (PT) classificou a ação da guarda como“equivocada”.
O corpo do menino foi enterrado na segunda (27), no cemitério Vila Formosa, na zona leste de São Paulo. Na ocasião, um tio do garoto afirmou que a GCM atirou para matar.

OUTRO CASO
A morte de Waldik Gabriel Silva Chagas acontece menos de um mês depois deo menino Italo, de dez anos, ter sido morto por policiais militares na zona sul de São Paulo. Italo estava com outro garoto, de 11 anos, em um carro furtado quando foi baleado durante perseguição policial.